Scroll Top

Blog Seus investimentos

NTN-F x NTN-B: o que escolher?

Para quem aplica no Tesouro Direto, uma decisão que não é nada fácil é qual papel comprar. São três opções: papéis com taxas prefixadas (NTN-F e LTN), papéis com taxas atreladas à SELIC (LFT) e papéis atrelados ao IPCA (NTN-B). Neste post, mostrarei como escolher entre um papel prefixado e um atrelado ao IPCA. Em um próximo, veremos como escolher entre um prefixado e um atrelado à SELIC.

Um título prefixado, como o próprio nome diz, estabelece uma taxa de juros fixa até o vencimento. Por exemplo, consultando o site do Tesouro Nacional, verificamos que uma NTN-F com vencimento em 01/01/17 estava pagando 12,39% ao ano no momento em que escrevo este post. Já um título atrelado à inflação paga uma taxa de juros formada por duas partes: um índice de inflação (o IPCA) mais uma taxa de juros prefixada, chamada “cupom”. No mesmo site, verificamos que uma NTN-B com vencimento em 15/05/17 estava pagando IPCA + 6,36% ao ano.

Pois bem. Esses dois títulos têm mais ou menos o mesmo vencimento. Um está pagando uma taxa fixa de 12,39%, enquanto o outro está rendendo IPCA +  6,36%. Qual dos dois eu compro? Para fazer esta escolha, é necessário conhecer o conceito de inflação implícita. Veja na figura abaixo:

A inflação implícita é aquela que teoricamente iguala a rentabilidade da NTN-F com a NTN-B. Veja que o cálculo é feito utilizando-se o conceito de juros compostos:

Aplicando ao exemplo acima, temos:

Agora a decisão é sua: se você acha que a inflação vai ficar acima de 5,67% ao ano pelos próximos 6 anos (até 2017, que é quando vencem estes papéis), você deveria comprar uma NTN-B. Claro: com um IPCA de, por exemplo, 5,80%, a composição com o cupom de 6,36% resultará em uma taxa maior do que os 12,39% do título prefixado. E o contrário também é verdadeiro: se você acha que o IPCA será menor que 5,67%, você deveria ir para o prefixado, que “trava” uma taxa maior até o vencimento.

O mecanismo é assim de simples. Mas preste atenção a três detalhes importantes:

1) Fazer a conta é fácil, difícil mesmo é saber quanto vai ser a inflação nos próximos 6 anos. Se você acredita que o Banco Central vai fazer sua lição de casa direitinho, então deveria estar convencido que a inflação no futuro convergirá para a meta de 4,5%. Portanto, uma inflação implícita de 5,67% parece um pouco exagerada, beneficiando títulos prefixados. Por outro lado, se você não acredita que o BC vai lutar para valer para trazer a inflação para a meta, você pode começar a pensar em comprar NTNs-B.

2) Você não precisa necessariamente exigir uma inflação acima de 5,67% para comprar uma NTN-B. Na verdade, pelo fato da NTN-B lhe fornecer uma espécie de seguro contra uma alta inesperada da inflação, você pode aceitar até um pouco menos de inflação para comprar este papel. Por exemplo, se você acha que a inflação será de 5,50% nos próximos 6 anos, talvez seja o caso de pular para uma NTN-B, pois os 0,17% que faltam não são nada perto da sua incerteza em relação à inflação futura. Em outras palavras, estes 0,17% funcionam como o “prêmio” do seguro que você está pagando para ficar protegido contra a inflação. Este prêmio será tanto maior quanto maior for o seu medo da inflação.

3) E como comparar títulos com vencimentos muito longos? Por exemplo, uma NTN-B com vencimento em 15/05/2045 (cupom de 5,79%) não tem um correspondente prefixado. Não existe uma solução perfeita aqui. Uma alternativa é selecionar o título prefixado mais longo possível (no caso, a NTN-F com vencimento em 01/01/2021), e assumir que aquela taxa (no caso 12,32%), se repetirá até o vencimento da NTN-B. Assim, teríamos uma inflação implícita de 6,17% de hoje até 2045. Claro que o grande defeito desta metodologia é que, ao optar pelo prefixado, não consigo comprar um título 2045. Neste caso, a escolha da NTN-B pode se dar pelo simples fato de que é um papel mais longo, e que se encaixa melhor nas minhas necessidades de investimento.

Crédito do thumbnail: FreeDigitalPhotos

Gostou? Compartilhe aqui!
Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedintumblrmailFacebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedintumblrmail

Sobre o autor | Website

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

5 Comentários

  1. Vanderlei disse:

    Ari, bem fácil como o cara explicou o conceito de inflação implícita.

  2. Daniel disse:

    Ricardo,

    Acho que a trava seria por meio de swap PRE x IPCA

  3. Reinaldo disse:

    Excelente, ficou muito claro para que não entende.

  4. Ricardo disse:

    Muito boa a sua explicação. Perfeita e didática.
    Quero fazer uma pergunta:
    Se você compra NTN-B, mas no meio do caminho, voce quer “travar” a implícita, como voce faria essa conta?

    Para exemplificar, existe a trava dos papéis pré, onde voce compra junto com os papéis (LTN-JUL/2016) uma quantidade de contratos de DI do mesmo vértice, é claro que não é uma trava perfeita.
    Agradeço a atenção.
    Grande Abraço.

  5. fafda disse:

    Parabens, mto bom

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.