Scroll Top

Blog Sua aposentadoria

Aposentadoria: assunto de jovens

Todos sabemos que faz diferença a idade em que você começa a poupar para a sua aposentadoria. Mas poucos realmente sabem QUANTA diferença faz. Vejamos.

Vamos fazer um exercício adotando as seguintes premissas:

  1. Taxa de juros reais (acima da inflação) durante o período de acumulação da poupança: 5% (vamos lembrar que as NTNs-B mais longas estão pagando em torno de 5,6% agora);
  2. Taxa de juros reais (acima da inflação) durante o período de aposentadoria: 3% (considerando que daqui a alguns anos as taxas de juros no Brasil estarão em um patamar mais civilizado);
  3. Aposentadoria aos 65 anos de idade;
  4. Falecimento aos 100 anos de idade. Ou seja, 35 anos vivendo da aposentadoria;
  5. Poupança de 10% da renda.
  6. O salário do indivíduo permanece constante ao longo de sua vida.

Com essas premissas, obtemos os resultados do gráfico a seguir:

Aposentadoria x Poupança

Esse gráfico significa o seguinte: se você começar a poupar com 25 anos de idade, seguindo as premissas acima, você poderá contar com 59% da sua renda anual durante a sua aposentadoria. Já se você começar com 45 anos, terá apenas 17% da sua renda anual. Esse simples exercício mostra quão importante é começar cedo a poupar para a aposentadoria.

Façamos agora o exercício inverso: quanto teria que ser poupado, começando-se a poupar em diferentes idades, para se obter o mesmo montante na aposentadoria:

Aposentadoria x Poupança2Note que, para obter a mesma renda que um jovem obteria poupando 10% de sua renda desde os 25 anos de idade, uma pessoa que comece a poupar a partir dos 45 anos deveria comprometer 36% de sua renda. Observe que 45 anos está exatamente na metade do caminho entre 25 e 65 anos, mas a diferença é bem mais do que o dobro!

– Mas Guterman, você não considerou que o salário da pessoa aumenta com o tempo! Assim, se a pessoa ganhar o triplo com 45 anos de idade do que ganhava com 25, comprometerá aproximadamente a mesma renda!

Calma, meu caro. Lembre-se que a conta se refere a qual percentual de sua renda você terá na aposentadoria. Se você ganha o triplo, deveria contar também com o triplo na aposentadoria! Assim, você continua precisando poupar o triplo para ter, agora, não mais a mesma aposentadoria que você gostaria de ter aos 25 anos de idade, mas o triplo. A conta continua aproximadamente a mesma.

Enfim, tudo isso para mostrar que aposentadoria deveria ser papo de jovem, e não de velho. Infelizmente, os jovens acordam tarde para essa necessidade, e acabam negligenciando a necessidade de uma poupança que não dói nada quando se começa cedo, mas que pode ser bastante difícil de alcançar quando se deixa o tempo passar.

Gostou? Compartilhe aqui!
Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedintumblrmailFacebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedintumblrmail

Sobre o autor | Website

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

9 Comentários

  1. investindoja disse:

    Excelente post Marcelo.Ainda bem que pensei cedo e comecei com 26 anos (com um bom aporte em um negócio envolvendo imóveis ) e estou poupando em torno de 8% na previdência privada da empresa que trabalho, que me rende logo de cara 100%, pq ela coloca o mesmo valor que eu, claro que preciso me aposentar aqui mas acredito ser um bom negócio, e em torno de 3% numa conta separada e espero daqui alguns meses juntar mais… quero ter uma renda superior a minha renda atual quando aposentar!!!!

  2. Anônimo disse:

    Marcelo: um outro problema grande que vejo, alem de conseguir poupar, e como gerenciar o montante que se vai acumulando. Acompanho alguns blogs de finanças pessoais e já li casos como: usar o dinheiro para comprar um apto na planta (que a construtora tava vendendo por uma “pechincha”), aplicar tudo em bolsa, primeiro em ETFs, depois em açoes individuais etc. Ou seja, se poupar é difícil, manter o dinheiro poupado parece ser ainda mais complicado …

    • Marcelo Guterman disse:

      De fato, este é O problema de poupar para a aposentadoria. Eu particularmente prefiro uma combinação de bolsa com renda fixa (por exemplo 30%/70%), sem me preocupar muito com o resultado final a cada mês. Mas cada um tem uma abordagem própria.

  3. Juliano disse:

    O artigo Quantos anos trabalhar tem uma abordagem semelhante: mostra que se uma pessoa de 30 anos economizar 50% do salário, com rendimento real de 2% ao ano, poderá se aposentar aos 50 anos mantendo o mesmo padrão de vida.

  4. Anônimo disse:

    Como é feita essa conta?

    • Marcelo Guterman disse:

      A conta é simples: a cada ano, são acumulados o aporte com o saldo do ano anterior corrigido pela taxa de juros real (eu usei 5%). Ao final do período de acumulação, você tem um montante, que é o seu valor presente (VP). Com uma certa premissa de taxa de juros real (i) para o período de aposentadoria (eu usei 3%), você calcula quanto você pode ir retirando do montante acumulado (PMT), até que ele acabe no último período (n), quando ocorre o falecimento, no caso 100 anos. É uma conta financeira simples.

  5. Major disse:

    Muito boa a abordagem Marcelo

    O problema é imaginar que estes 5% acima da inflação durem toda a fase de acumulação para um jovem de 25 anos hoje.

    Teve-se uma oportunidade de ouro nos últimos 15 anos para se formar um colchão de aposentadoria em RF. Daqui pra frente além de começar cedo os jovens terão que estudar e buscar aplicações fora dos grandes bancos.

    abs

    • Marcelo Guterman disse:

      Major, excelente ponto! De fato, a premissa de que os 5% de juros reais podem ser alcançados durante toda a fase de acumulação chega a ser heróica. Em um futuro não muito distante, somente será possível alcançar em investimentos mais arriscados. O que torna a situação de quem começa a poupar depois ainda mais desvantajosa, pois este não terá tempo para reverter uma eventual má performance no curto prazo.

  6. Roberto Pina Rizzo disse:

    Dura é a condição humana…

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.