Scroll Top

Seu orçamento

80% dos brasileiros não controlam suas finanças

Segundo reportagem publicada no jornal O Estado de São Paulo (aqui), 80% dos brasileiros não fazem a mínima ideia de como andam as suas finanças pessoais. Esse percentual varia de 84% a 76% dependendo da classe social. Essa conclusão faz parte de uma pesquisa patrocinada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) e pela Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL). Ainda segundo a pesquisa, 70% dos que não controlam suas finanças terminam o mês no vermelho, enquanto este percentual cai para 29% entre aqueles que têm algum controle. Interessante, não?

E por que as pessoas não controlam suas contas? Segundo a pesquisa (que pode ser encontrada aqui), 39% apontam a falta de disciplina para anotar todos os gastos, 29% não conseguem unir todas as informações de maneira simples e compreensível, 28% não conseguem recordar aquelas despesas que não aparecem no extrato bancário (o que, de alguma forma, está ligado com o primeiro fator), 23% dizem não ter tempo para isso e 11% apontam desconhecimento sobre taxa de juros para não controlar suas finanças.

E você, qual a sua desculpa?

Sim, trata-se de desculpas, não de motivos. Casei-me em 1990, e desde então controlo minhas finanças pessoais. Comprei meu primeiro computador em 1997, de modo que, durante 7 anos, pelo menos, controlei minhas contas “na unha”. Uma forma muito simples é o método do “envelope”. Pegue uma certa quantidade de envelopes e coloque sobre eles os nomes de algumas contas: “supermercado”, “contas de casa”, “automóvel”, “transporte”, etc. No início do mês, determine quanto você vai gastar de cada um desses envelopes, e coloque o montante correspondente em dinheiro vivo lá. Isso mesmo, dinheiro vivo. Este método só trabalha com dinheiro vivo. Então, durante o mês, você vai retirando o dinheiro lá de dentro e vai gastando. Trabalhar só com dinheiro vivo, além de ser pouco prático, é inseguro. Mas este é um método infalível para quem realmente tem dificuldade em controlar suas finanças.

Um outro método, que é semelhante na lógica, é simplesmente pegar uma folha de papel e separar em colunas. Cada coluna recebe o nome de uma conta (“supermercado”, etc). Debaixo de cada nome, você escreve o montante, no início do mês, de quanto pretende gastar. E vai diminuindo aquele montante na medida em que vai gastando. Este método, apesar de mais prático, é menos efetivo, pois você pode esquecer de anotar coisas, e depende da perseverança.

E há cada vez mais programas que ajudam no controle das finanças pessoais. Mas isso é como dieta: nenhum deles vai funcionar se você não tomar a decisão fundamental de tomar o controle de sua vida financeira.

Crédito do thumbnail: Free Digital Photos / Tungphoto
 
Gostou? Compartilhe aqui!
Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedintumblrmailFacebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedintumblrmail

Sobre o autor | Website

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

4 Comentários

  1. cler disse:

    Estou em crise ‘finanças pessoais ė um caos’ sou extravagante gasto com coisas que nem sempre utilizo, termino o mês sempre no vermelho não tenho idéia de como organizar minha vida financeira ajude me Marcelo

  2. Flavio disse:

    Números assustadores, mas que não surpreendem. Controlo meu patrimônio detalhadamente desde 2006 (viva o Excel!) e as receitas/despesas mensais, ainda que não muito detalhadamente, desde 2010. Mas sei que sou exceção.

  3. dimarcinho disse:

    Grande, Marcelo!
    Estava sumido! Férias ou falta de tempo? Ou ambos! hehe
    Realmente, fica difícil fazer qualquer tipo de planejamento se não há nem controle.
    Em refinaria há uma frase clássica: “Você só controla o que você mede.”
    Se não há medição, fica difícil ter qualquer tipo de controle.
    []s!!!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.